Dermatologia Pediátrica

DERMATITE ATÓPICA

O que é: é uma doença inflamatória pruriginosa (que coça), crônica e recidivante. As lesões são avermelhadas, descamam e, às vezes, ficam úmidas. No bebê, as lesões predominam na face e nas superfícies externas dos braços e pernas. Nas crianças maiores e nos adultos as lesões acometem principalmente as dobras do corpo, como as dos joelhos, cotovelos e pescoço.

O que causa: em pessoas sucetíveis (com predisposição genética), a exposição a fatores ambientais podem aumentar ou reduzir o desenvolvimento de alterações na pele: pele seca, poeira, detergentes, roupas de tecido sintético, baixa umidade do ar, frio intenso, calor, infecções, estresse emocional, certos alimentos.

Interessante: até 30% dos portadores de dermatite atópica apresentam alergia a algum alimento, sendo mais frequente nas crianças abaixo de 2 anos de idade e nos casos mais extensos e graves. Nesses casos, testes como o prick test ou o RAST podem orientar qual o alimento suspeito. Com relação ao uso de conservantes e corantes, não há comprovação científica que demonstre que agravem a dermatite.

Por ser uma doença crônica, o essencial do tratamento é o acompanhamento clínico com o especialista: agende uma consulta.

IMPETIGO

O que é: é uma infecção bacteriana superficial da pele muito comum, altamente contagiosa, vista mais frequentemente na face ou extremidades da pele de crianças. As lesões são eritematosas (avermelhadas) com crostas milicérias (amareladas, parecdia com à do mel). Podem ocorrer bolhas que se rompem, quando, então, se torna o impetigo bolhoso.

O que causa: a bactéria entra na pele após um pequeno trauma da pele ou mesmo após a picada de insetos. Pode ocorrer sobre outras doenças prévias da pele, como a dermatite atópica, que sofrem a contaminação secundária pela bactéria.

Interessante: A limpeza das crostas e o uso de antibióticos geralmente promovem cura sem sequelas. Contudo, nos impetigos produzidos pela bactéria estreptococos, uma complicação grave pode ocorrer: glomerulonefrite (doença nos rins).

O diagnóstico e tratamento corretos evitam complicações: agende uma consulta

VERRUGAS

O que é: são proliferações benignas da pele causadas por um vírus: papilomavírus humano (HPV). A infecção ocorre nas camadas mais superficiais da pele ou mucosa, ativando o crescimento anormal das células. O aspecto da verruga varia de acordo com o local acometido, mas geralmente são vegetantes (aspecto de couve-flor), ásperas, da cor da pele, mas também podem ser planas, macias e escuras.

Qual a causa: O vírus ativa o crescimento anormal das células das camadas mais superficiais da pele ou mucosa. Para que ocorra a transmissão do HPV, são necessárias pequenas feridas, motivo pelo qual as verrugas são mais comuns em áreas de traumas. É possível ocorrer autoinoculação por meio de pequenos ferimentos que servem de porta de entrada para o vírus. Também há transmissão pelo contato sexual e pela via materno-fetal no momento do parto.

Interessante: As verrugas podem involuir espontaneamente, dentro de meses, ou persistir por anos. Crianças, geralmente, se curam sem necessidade de medicação. Entretanto, por causa do risco de disseminação do vírus para outras pessoas e o surgimento de novas lesões no próprio indivíduo pela autocontaminação, seu tratamento é recomendado.

O tratamento pode envolver procedimentos, como eletrocoagulação das lesões. Agende uma consulta e verifique se podem ser realizados no seu caso.

MOLUSCO CONTAGIOSO

O que é: Pápulas (“bolinhas”) de consistência firme, umbilicadas, na cor da pele que podem ocorrer em qualquer localização da pele. A lesão pode ser única ou se espalhar a outras partes do corpo se a criança rompe uma das “bolinhas” e depois se coça em outra parte (esse processo é chamado auto-inoculação).

Qual a causa: é uma infecção viral produzida por um poxvírus, transmitida pelo contato individual e de fácil disseminação. Para impedi-la, é necessário desencorajar a criança de mexer nas bolinhas. Atraia a sua atenção para outras coisas, no caso das crianças menores. Mastigar ou chupar a

“massinha” pode levar a bolinhas nos lábios ou na face. Se sua criança faz isso, cubra o molusco com um curativo do tipo Band-Aid. Mantenha sempre as unhas da criança bem cortadas e lave as mãos da criança mais frequentemente.

Interessante: o vírus do molusco contagioso é o maior (300 nanómetros) virus que infecta o ser humano, podendo ser visualizado facilmente no exame da lesão como inclusões citoplasmáticas intracelulares (fragmentos do vírus dentro das células).

Não espere a doença disseminar, agende uma consulta.

Agende sua Consulta

[contact-form-7 404 "Not Found"]